1. Freqüentei uma casa onde os exus apareciam de uma maneira bem normal e tranqüila, diferente do que vi em outras casas, onde se apresentavam apenas na penumbra, bebendo e fumando e trabalhando para o mal. Não entendo essa confusão de cada casa funcionar de um jeito. Como, afinal de contas, os exus trabalham?

Cada casa trabalha de uma maneira apenas em função da forma como a Umbanda se desenvolveu, isto é, através da tradição oral.

Na verdade a confusão é das pessoas e não das entidades, que, bondosamente, fazem suas caridades dentro dos rituais particulares de cada casa.

Os exus de mais alta hierarquia (falaremos sobre isso no curso on line) são entidades que nunca tiveram encarnações no planeta (os de alta hierarquia) e que estão inseridos no movimento da Umbanda, trabalhando sob as ordens de outras entidades, enfeixadas nas diversas linhas (especialmente caboclos e pretos velhos).

Trabalham dentro da Lei e dependendo também de sua hierarquia, podem, eventualmente, ser usados em cultos ou rituais não umbandistas.

A Umbanda, no entanto, é só amor e não trabalha nunca para o mal, assim como não precisa trabalhar da forma como você falou: na penumbra, bebendo, etc.

Na Umbanda bem compreendida eles trabalham, especialmente, como facilitadores da magia, de forma discreta e muitas vezes imperceptível para o consulente. O uso do charuto, eventualmente, é apenas porque representa o elemento fogo, por onde a sua magia se processa.

2. Tenho minhas entidades espirituais e uma delas pediu para que refizesse a porteira do centro. Pediu que fossem compradas as imagens para que se fizesse o assentamento. Porém, um médium da casa, que fez um curso teórico, começou a indagar se a entidade riscou o ponto, se fez isso, se fez aquilo. Achei estranho, pois essas regras e normas deveriam ser dadas pela entidade espiritual. Se for possível me informe, pois é a primeira vez que ouço falar disso.

O assentamento do Exu ou Agente mágico, que se faz na porteira do centro (que, aliás, nem precisa ficar na porta de entrada), tem realmente determinadas regras, pois é o local usado para a segurança do terreiro (assim como o Otá), e contém os elementos da natureza.

Nele devem constar alguns elementos:
-flores lunares (dália, rosa, orquídea ou copo de leite, etc)
-metal relacionado ao exu guardião da casa (por sua vez relacionado à vibração original do médium que recebe a entidade chefe do terreiro); é o catalisador usado para a magia
-cristal (da cor do orixá no qual o terreiro está firmado)
-álcool ou éter (elemento volátil que difunde a magia; esse elemento já contém água)
-vela acesa (fogo)
-tábua de madeira com o ponto riscado do agente mágico guardião da casa

O assentamento é feito numa caixa de madeira (que não precisa ser maior que 60cmX60cm) com terra de cachoeira e deve ser coberto com um pano cinza (na tonalidade específica para o agente mágico guardião da casa) no final de cada trabalho.

Quanto ao fato da entidade ditar normas e regras, é verdade, porém o médium bem informado tem condições de captar melhor as orientações da espiritualidade.

Um bom exemplo disso são os pontos riscados, que também seguem regras simples, mas específicas, que potencializam seu poder magístico.

Falaremos mais sobre tudo isso em nosso curso on line.


3. Gostaria de receber informações sobre Exus e Pombas Giras e também  saber como devemos fazer as oferendas para eles e qual sua hierarquia.
 
Sobre Exus (ou Agentes Mágicos, como preferimos chamá-los) falaremos mais detalhadamente em nosso curso de Umbanda on line. Podemos lhe adiantar que Pomba Gira é apenas um dos Agentes Mágicos conhecidos.

Os exus (cuja origem da palavra vem do sânscrito e significa "povo banido") tem uma rígida hierarquia. Na Atlântida, nos templos da Luz, na primitiva Aumpram, eram identificados pelos magos brancos como Agentes mágicos.

Trabalhamos o tempo todo com eles na apometria (geralmente se manifestam em circunstâncias onde existem trabalhos mais graves de magia a serem feitos ou desfeitos). Na verdade o exu é um ser composto por um fluido impessoal e serve de veículo para toda e qualquer magia, nos sete planos da manifestação. Sua hierarquia é a seguinte: 7 exus guardiões, 42 exus chefes de legião, 252 exus batizados, infinitos exus pagãos e infinitos compadres e comadres.

Apenas os dois últimos grupos (pagãos e compadres e comadres) são compostos de entidades reencarnantes no planeta. E são estes últimos, às vezes, que se prestam para serem usados de forma inadequada.

A origem dos nomes chega a ser estranha. Vou lhe dar um exemplo:
Exu Tranca Rua (que trabalha na vibração de Ogum): é responsável pelos portais dimensionais do mundo astral, impedindo a passagem ou selecionando aqueles que podem transitar pelas comunicações vibracionais, como se fossem ruas, de um sub plano a outro.

Através dos tempos esse conhecimento esotérico foi se perdendo mas o nome ainda lembra sua função principal. O problema é que as pessoas pensam que eles trancam mesmo as nossas ruas, nossa esquinas, etc.

Sobre oferendas, podemos informar que são cerimônias ligadas à cultos africanistas, como o candomblé, por exemplo, e nada tem a ver com a Umbanda.


4. Entrei para a Umbanda há poucos meses e procuro estudar bastante. Fui escolhida pela PombaGira 7 Encruzilhadas para ser o seu cavalo. Recebi uma mensagem do Pai de Santo que a entidade solicitou que eu fizesse a roupa para ser usada nas sessões de Exu. Que estilo de roupa devo   fazer?
Quanto à incorporação dessa entidade, como tenho apenas alguns meses participando dos trabalhos, tenho receio; até porque sei que ela é desdenhosa e gosta de falar palavrões, e essas são características totalmente diferentes das minhas.

Em primeiro lugar os exus (ou agentes mágicos) são entidades que trabalham na caridade e dentro da lei, e dependendo de sua hierarquia não bebem e não falam palavrões. Em centros mais organizados elas não solicitam ao médium que se vista de nenhuma forma especial, além do uniforme do próprio centro. Outra coisa interessante no seu relato é que Pomba Gira e 7 Encruzilhadas seriam uma mesma entidade, mas Pomba Gira é o nome de um exu em particular e 7 Encruzilhadas é nome de outro, de forma que não é possível um único exu ter os dois nomes.

Pomba Gira é um exu que trabalha sob as ordens de entidades da linha de Yemanjá e 7 Encruzilhadas trabalha sob as ordens de entidades da linha de Oxalá. Em último lugar, os médiuns iniciantes não devem, ou não deveriam, "receber"exus, pois estes demandam energias às vezes difíceis de serem controladas.

Geralmente os médiuns começam recebendo ou Pretos Velhos ou caboclos da linha de Oxossi ou Oxalá.
Estranhamos que isso lhe tenha sido solicitado.

Pergunte ao chefe espiritual de sua casa se não estaria havendo algum engano, ou se isso não poderia ser protelado. Para receber exus o médium precisa ser relativamente experiente.

Finalmente, se alguma coisa na casa que você freqüenta lhe causa qualquer constrangimento, talvez você devesse procurar uma casa que trabalhasse dentro de um ritual mais adequado ao seu temperamento.

É preciso salientar que, geralmente, todas as casas de umbanda fazem caridade, desde que nada cobrem pela caridade prestada; o que as diferencia é o ritual praticado, que varia muito de casa para casa, pois a umbanda sedesenvolveu dessa forma e por isso é interessante o médium achar uma casa onde se sinta "em casa".



5. Como devo decorar o terreiro para uma festa de exus, em especial o sr. Exu João Caveira?

Não  é  hábito na umbanda, geralmente, fazer festas para os agentes mágicos (ou exus). Costuma-se homenagear as datas relacionadas apenas aos orixás (ainda assim por vontade dos homens e não da espiritualidade). Apesar do enorme agradecimento pelo trabalho desses seres maravilhosos, os agentes mágicos, que tanto auxiliam o trabalho da caridade na umbanda, eles não pedem para si nenhum tipo de festividade.

Ainda  mais no caso de exus que se apresentam na forma astral de artificiais, como  é o caso de João Caveira, que trabalha sob as ordens do sr. Caveira, exu guardião trabalhando sob as ordens das entidades enfeixadas na linha de Obaluayê, o orixá oculto, que está voltando para atuar na umbanda com sua contra parte feminina, Yemanja.

Desta forma não temos como lhe dar essas informações, pois não realizamos essas atividades na FGC.
Exus (agentes mágicos)
Estaremos publicando as perguntas freqüentes e suas respostas, sempre preservando as identidades dos participantes. Poderemos organizar melhor as questões originais  com a finalidade de torná-las mais simples e objetivas. 
1. Minha vida está muito mal, tanto no aspecto amoroso como no financeiro; acho que fizeram um trabalho contra meu marido para que assim fosse. O que a Umbanda pode fazer por mim?

 "Trabalhos" ou outros tipos de magias só "pegam" nas pessoas se elas estão predispostas para que isto aconteça. Predispostas no sentido de não estarem atentos para a necessidade de uma postura de vida onde prevaleça a brandura, a caridade, a ausência de irritação, a necessária resignação para com muitas coisas que não são mesmo para serem resolvidas e sim serem aceitas, etc.

De qualquer forma, sempre é muito questionável dizer que nos fizeram  isto ou aquilo. Muitas vezes nossos problemas são apenas oportunidades que nos são dadas pelo Pai Maior para que possamos rever algumas coisas e aprender outras. Quando conseguimos descobrir o que cada vicissitude traz escondida em forma de aprendizado, talvez não precisemos mais passar por ela.

A Umbanda não existe para resolver problemas amorosos ou financeiros ou de qualquer outro tipo, especificamente. A Umbanda existe para ensinar as pessoas a amarem e a se conectarem com a espiritualidade superior, o que deverá trazer a paz e o entendimento das leis divinas a cada espírito, especialmente a lei maior de causa e efeito. Nada nos acontece sem uma causa anterior, traçada por nós mesmos. Umbanda é a Lei Divina.

Sugerimos que procure um bom centro, onde possa se aconselhar nesse sentido com as entidades manifestadas na casa.


2. Tenho um amigo que acredita que seus relacionamentos amorosos e sua vida não progridem porque uma pessoa fez "macumba". Pode me ajudar a ajudá-lo?

Sugerimos que o você procure um centro sério em sua cidade onde seu amigo possa ser tratado, mesmo porque, somente uma entidade manifestada, um guia, poderia afirmar tal coisa. Mesmo assim, por uma questão de caridade, os guias ou protetores, não costumam entrar no mérito desta questão, porque se alguém fez alguma coisa para seu amigo, é porque ele "permitiu". Permitiu como? Permitiu através de seu temperamento.
Se somos nervosos, irritados ou gostamos que todas as coisas sejam de nosso jeito e não toleramos muito as contrariedades da vida, estamos sempre vibrando numa freqüência de ondas médias, que é onde nossos desafetos do passado também vibram (o ser humano quando está bem vibra em ondas curtas).
Como dá para se perceber, a maioria das coisas às quais atribuímos a "trabalhos feitos", macumbas, etc, nada mais são que ações de nossos próprios desafetos ou obsessores, na medida que nos sintonizamos com eles em nossos desequilíbrios, mesmo que pequenos.
Resumindo, se seu amigo não melhorar como pessoa, nem mesmo um bom centro poderá fazer nada por ele, pois a melhora que vai obter será apenas passageira, pois no momento seguinte atrairá para seu campo áurico outro obsessor de seu passado.
1. Minha vida está muito mal, tanto no aspecto amoroso como no financeiro; acho que fizeram um trabalho contra meu marido para que assim fosse. O que a Umbanda pode fazer por mim?

 "Trabalhos" ou outros tipos de magias só "pegam" nas pessoas se elas estão predispostas para que isto aconteça. Predispostas no sentido de não estarem atentos para a necessidade de uma postura de vida onde prevaleça a brandura, a caridade, a ausência de irritação, a necessária resignação para com muitas coisas que não são mesmo para serem resolvidas e sim serem aceitas, etc.

De qualquer forma, sempre é muito questionável dizer que nos fizeram  isto ou aquilo. Muitas vezes nossos problemas são apenas oportunidades que nos são dadas pelo Pai Maior para que possamos rever algumas coisas e aprender outras. Quando conseguimos descobrir o que cada vicissitude traz escondida em forma de aprendizado, talvez não precisemos mais passar por ela.

A Umbanda não existe para resolver problemas amorosos ou financeiros ou de qualquer outro tipo, especificamente. A Umbanda existe para ensinar as pessoas a amarem e a se conectarem com a espiritualidade superior, o que deverá trazer a paz e o entendimento das leis divinas a cada espírito, especialmente a lei maior de causa e efeito. Nada nos acontece sem uma causa anterior, traçada por nós mesmos. Umbanda é a Lei Divina.

Sugerimos que procure um bom centro, onde possa se aconselhar nesse sentido com as entidades manifestadas na casa.


2. Tenho um amigo que acredita que seus relacionamentos amorosos e sua vida não progridem porque uma pessoa fez "macumba". Pode me ajudar a ajudá-lo?

Sugerimos que o você procure um centro sério em sua cidade onde seu amigo possa ser tratado, mesmo porque, somente uma entidade manifestada, um guia, poderia afirmar tal coisa. Mesmo assim, por uma questão de caridade, os guias ou protetores, não costumam entrar no mérito desta questão, porque se alguém fez alguma coisa para seu amigo, é porque ele "permitiu". Permitiu como? Permitiu através de seu temperamento.
Se somos nervosos, irritados ou gostamos que todas as coisas sejam de nosso jeito e não toleramos muito as contrariedades da vida, estamos sempre vibrando numa freqüência de ondas médias, que é onde nossos desafetos do passado também vibram (o ser humano quando está bem vibra em ondas curtas).
Como dá para se perceber, a maioria das coisas às quais atribuímos a "trabalhos feitos", macumbas, etc, nada mais são que ações de nossos próprios desafetos ou obsessores, na medida que nos sintonizamos com eles em nossos desequilíbrios, mesmo que pequenos.

Resumindo, se seu amigo não melhorar como pessoa, nem mesmo um bom centro poderá fazer nada por ele, pois a melhora que vai obter será apenas passageira, pois no momento seguinte atrairá para seu campo áurico outro obsessor de seu passado.

Se a pessoa não quer se modificar para ser mais feliz e portanto se distanciar de seus desafetos do passado, as entidades estariam interferindo no livre arbítrio da mesma (fazendo por ela o que seria de sua obrigação,  pois afinal estamos nesta nova vida para nos libertarmos dos antigos defeitos), o que se caracterizaria como magia negra.



 
.