Linhas, falanges e agrupamentos
Estaremos publicando as perguntas freqüentes e suas respostas, sempre preservando as identidades dos participantes. Poderemos organizar melhor as questões originais  com a finalidade de torná-las mais simples e objetivas. 
1. Minha vida está muito mal, tanto no aspecto amoroso como no financeiro; acho que fizeram um trabalho contra meu marido para que assim fosse. O que a Umbanda pode fazer por mim?

 "Trabalhos" ou outros tipos de magias só "pegam" nas pessoas se elas estão predispostas para que isto aconteça. Predispostas no sentido de não estarem atentos para a necessidade de uma postura de vida onde prevaleça a brandura, a caridade, a ausência de irritação, a necessária resignação para com muitas coisas que não são mesmo para serem resolvidas e sim serem aceitas, etc.

De qualquer forma, sempre é muito questionável dizer que nos fizeram  isto ou aquilo. Muitas vezes nossos problemas são apenas oportunidades que nos são dadas pelo Pai Maior para que possamos rever algumas coisas e aprender outras. Quando conseguimos descobrir o que cada vicissitude traz escondida em forma de aprendizado, talvez não precisemos mais passar por ela.

A Umbanda não existe para resolver problemas amorosos ou financeiros ou de qualquer outro tipo, especificamente. A Umbanda existe para ensinar as pessoas a amarem e a se conectarem com a espiritualidade superior, o que deverá trazer a paz e o entendimento das leis divinas a cada espírito, especialmente a lei maior de causa e efeito. Nada nos acontece sem uma causa anterior, traçada por nós mesmos. Umbanda é a Lei Divina.

Sugerimos que procure um bom centro, onde possa se aconselhar nesse sentido com as entidades manifestadas na casa.


2. Tenho um amigo que acredita que seus relacionamentos amorosos e sua vida não progridem porque uma pessoa fez "macumba". Pode me ajudar a ajudá-lo?

Sugerimos que o você procure um centro sério em sua cidade onde seu amigo possa ser tratado, mesmo porque, somente uma entidade manifestada, um guia, poderia afirmar tal coisa. Mesmo assim, por uma questão de caridade, os guias ou protetores, não costumam entrar no mérito desta questão, porque se alguém fez alguma coisa para seu amigo, é porque ele "permitiu". Permitiu como? Permitiu através de seu temperamento.
Se somos nervosos, irritados ou gostamos que todas as coisas sejam de nosso jeito e não toleramos muito as contrariedades da vida, estamos sempre vibrando numa freqüência de ondas médias, que é onde nossos desafetos do passado também vibram (o ser humano quando está bem vibra em ondas curtas).
Como dá para se perceber, a maioria das coisas às quais atribuímos a "trabalhos feitos", macumbas, etc, nada mais são que ações de nossos próprios desafetos ou obsessores, na medida que nos sintonizamos com eles em nossos desequilíbrios, mesmo que pequenos.
Resumindo, se seu amigo não melhorar como pessoa, nem mesmo um bom centro poderá fazer nada por ele, pois a melhora que vai obter será apenas passageira, pois no momento seguinte atrairá para seu campo áurico outro obsessor de seu passado.
1. Minha vida está muito mal, tanto no aspecto amoroso como no financeiro; acho que fizeram um trabalho contra meu marido para que assim fosse. O que a Umbanda pode fazer por mim?

 "Trabalhos" ou outros tipos de magias só "pegam" nas pessoas se elas estão predispostas para que isto aconteça. Predispostas no sentido de não estarem atentos para a necessidade de uma postura de vida onde prevaleça a brandura, a caridade, a ausência de irritação, a necessária resignação para com muitas coisas que não são mesmo para serem resolvidas e sim serem aceitas, etc.

De qualquer forma, sempre é muito questionável dizer que nos fizeram  isto ou aquilo. Muitas vezes nossos problemas são apenas oportunidades que nos são dadas pelo Pai Maior para que possamos rever algumas coisas e aprender outras. Quando conseguimos descobrir o que cada vicissitude traz escondida em forma de aprendizado, talvez não precisemos mais passar por ela.

A Umbanda não existe para resolver problemas amorosos ou financeiros ou de qualquer outro tipo, especificamente. A Umbanda existe para ensinar as pessoas a amarem e a se conectarem com a espiritualidade superior, o que deverá trazer a paz e o entendimento das leis divinas a cada espírito, especialmente a lei maior de causa e efeito. Nada nos acontece sem uma causa anterior, traçada por nós mesmos. Umbanda é a Lei Divina.

Sugerimos que procure um bom centro, onde possa se aconselhar nesse sentido com as entidades manifestadas na casa.


2. Tenho um amigo que acredita que seus relacionamentos amorosos e sua vida não progridem porque uma pessoa fez "macumba". Pode me ajudar a ajudá-lo?

Sugerimos que o você procure um centro sério em sua cidade onde seu amigo possa ser tratado, mesmo porque, somente uma entidade manifestada, um guia, poderia afirmar tal coisa. Mesmo assim, por uma questão de caridade, os guias ou protetores, não costumam entrar no mérito desta questão, porque se alguém fez alguma coisa para seu amigo, é porque ele "permitiu". Permitiu como? Permitiu através de seu temperamento.
Se somos nervosos, irritados ou gostamos que todas as coisas sejam de nosso jeito e não toleramos muito as contrariedades da vida, estamos sempre vibrando numa freqüência de ondas médias, que é onde nossos desafetos do passado também vibram (o ser humano quando está bem vibra em ondas curtas).
Como dá para se perceber, a maioria das coisas às quais atribuímos a "trabalhos feitos", macumbas, etc, nada mais são que ações de nossos próprios desafetos ou obsessores, na medida que nos sintonizamos com eles em nossos desequilíbrios, mesmo que pequenos.

Resumindo, se seu amigo não melhorar como pessoa, nem mesmo um bom centro poderá fazer nada por ele, pois a melhora que vai obter será apenas passageira, pois no momento seguinte atrairá para seu campo áurico outro obsessor de seu passado.

Se a pessoa não quer se modificar para ser mais feliz e portanto se distanciar de seus desafetos do passado, as entidades estariam interferindo no livre arbítrio da mesma (fazendo por ela o que seria de sua obrigação,  pois afinal estamos nesta nova vida para nos libertarmos dos antigos defeitos), o que se caracterizaria como magia negra.



 
.




1.        Durante os trabalhos de crianças, como nas festas de Cosme e Damião é preciso levar doces e brinquedos para agradá-los?

Se você der uma olhada nas aulas do curso intermediário verá que as entidades que se manifestam na linha de Yori (as chamadas crianças) são entidades da mais alta estirpe (a maioria nirmanacayas), que jamais se prestariam para ter um comportamento infantil (como brincar, pular, comer doces, etc). Quando eles se manifestam, o que se dá raramente, pois as entidades dessa linha não dão consultas, quando se apresentam são para proferir palestras ou transmitir ensinamentos.

O problemas é que em função da cultura da umbanda ter sido transmitida oralmente através dos tempos, esse entendimento se perdeu para a maioria das pessoas.

Desta forma as entidades, na maioria das casas, que supostamente se apresentam nessa linha, muito em função do falso entendimento dos médiuns (pois que as mediunidades são conscientes), não são "crianças" verdadeiras no sentido de estar enfeixadas na linha de Yori. Se fazem passar por elas, muitas vezes inocentemente.

Os médiuns confundem "criança" no sentido da umbanda com criança no sentido cronológico. O próprio e decantado sincretismo com os santos católicos não existe na verdadeira umbanda e desta forma os nyrmanacayas nada têm a ver com Cosme e Damião, por exemplo, e jamais se apresentam nessas festas de fato.

Mas nunca podemos perder de vista que embora a maioria das pessoas não saiba dessas coisas, nada invalida o trabalho da verdadeira caridade que se faz na maioria dos centros e não temos o direito de querer confrontar sua fé e sua boa vontade.